• Fibromialgia

Fibromialgia

A fibromialgia é uma forma de reumatismo que provoca dores crónicas nos músculos e no tecido conjuntivo. Outro nome para a fibromialgia é reumatismo dos tecidos moles.

O que é Dokteronline?

  1. 1
    É você quem escolhe o seu tratamento

    Conheça as possibilidades e escolha o tratamento que mais lhe convier.

  2. 2
    Nós fornecemos-lhe a assistência necessária

    Um médico analisará o seu questionário médico e enviará a sua receita para uma das farmácias afiliadas.

  3. 3
    Entregas ao domicílio sem complicações

    Receberá a encomenda em sua casa de forma rápida e cómoda.

Leia mais

O que é a fibromialgia?

As pessoas que sofrem de fibromialgia sofrem de dores e rigidez nos músculos e no tecido conjuntivo. O tecido conjuntivo também se encontra nos ligamentos junto às articulações, pelo que as pessoas que sofrem de fibromialgia também sentem dores e rigidez nas articulações. Esta dor é frequentemente acompanhada de cansaço e distúrbios do sono. Além disso, os sintomas variam: num dia poderá ter mais queixas do que no outro. Não se verificam anormalidades nos músculos ou no tecido conjuntivo dos pacientes que sofrem de fibromialgia, pelo que o diagnóstico é difícil de estabelecer, e também não existem medicamentos para curar a doença.

Quais são as causas da fibromialgia?

Atualmente, ainda não se sabe exatamente quais as causas da fibromialgia. Existem no entanto diversas teorias, entre outras:

  • A fibromialgia pode ter a ver com a forma como o cérebro controla os músculos. É possível que a cooperação entre o cérebro e as glândulas hormonais de controlo dos músculos não funcione devidamente nos pacientes com fibromialgia. Desconhecem-se as causas desse distúrbio.
  • Outros cientistas são de opinião que os estímulos do mundo exterior não são devidamente filtrados nos pacientes que sofrem de fibromialgia. Além disso também é possível que as pessoas que sofrem de fibromialgia processem os estímulos dolorosos de forma diferente.
  • Também é possível que os músculos das pessoas com fibromialgia se encontrem continuamente tensos e que não relaxem durante o sono. Desta forma, as toxinas nos músculos e no tecido conjuntivo não são eliminados adequadamente, pelo que se vão acumulando em certas zonas, causando posteriormente dores em determinados pontos.
  • O metabolismo da coenzima Q10 encontra-se perturbado. A coenzima Q10 é uma substância importante para a produção de energia nas mitocôndrias. Causas de produção insuficiente de energia.
  • Deficiência de vitamina D.
  • Síndrome do intestino irritável (SII). 30 a 70% dos pacientes com fibromialgia sofrem de SII. Devido à existência de muitas bactérias intestinais nocivas no intestino delgado, a parede intestinal torna-se permeável. Isto permite que algumas substâncias pró-inflamatórias, como as citocinas e prostaglandinas, cheguem ao cérebro através do sangue tornando a pessoa mais sensível à dor.
  • Stress crónico; Após períodos prolongados de stress, os doentes com fibromialgia têm mais queixas.

Que tipos de fibromialgia existem?

A fibromialgia também é denominada reumatismo dos tecidos moles, mas ambas as denominações dizem respeito à mesma patologia. Os médico têm dificuldade em diagnosticar a doença uma vez que não existem anormalidades nos músculos nem no tecido conjuntivo. Assim, os médicos e os reumatologistas observam os seguintes fatores para determinar se alguém sofre de fibromialgia:

  • A pessoa tem dores há mais de 3 meses;
  • A pessoa sofre de rigidez muscular há mais de 3 meses;
  • As dores e rigidez ocorrem em pelo menos três locais diferentes do corpo;
  • As zonas de dor encontram-se em ambos os lados do corpo;
  • As zonas de dor encontram-se tanto na parte superior como na parte inferior do corpo;
  • A pessoa tem sintomas prolongados, como cansaço, problemas de concentração, alterações de humor, perturbações do sono.

Poderá ser examinado num dia "bom", um dia em que não sinta muitas dores. Também depende se o médico pressiona forte ou suavemente nas áreas afetadas. Tudo isto dificulta o diagnóstico. Se o médico tiver dúvidas, serão realizados exames adicionais, como radiografias ou análises ao sangue.

Como reconhecer a fibromialgia?

Poderá reconhecer a fibromialgia pelos seguintes sintomas:

dores nas costas, pescoço, ombros, esterno, ancas ou joelhos. Muitas vezes, trata-se de uma dor incómoda, latejante, ardente, cortante ou lancinante;

  • Cansaço crónico;
  • Rigidez ao levantar-se de manhã ou depois de muito tempo sentado;
  • Perturbações do sono;
  • Diminuição da força muscular;
  • Alterações de humor como depressão, problemas de concentração, esquecimento e sentimento de angústia;
  • Inchaço dos dedos ou tornozelos;
  • Sensação de peso nos braços ou pernas;
  • Formigueiro nos braços ou pernas;
  • Sensação de queimadura na pele;
  • Dores de cabeça;
  • Dores abdominais.

Devido à sensação de rigidez nos músculos e nas articulações, poderá sentir dificuldade a levantar-se de uma cadeira. A realização de atividades diárias, como fazer compras é também mais difícil devido à diminuição da força muscular. Também é possível ter perturbações do sono devido às dores ou preocupações. O cansaço e as dores, por sua vez, afetam a disposição, o que pode provocar sentimentos depressivos e problemas de concentração.

Algumas pessoas que sofrem de fibromialgia têm sintomas piores com baixas temperaturas ou com clima húmido. No entanto, o clima em que se vive não tem influência no desenvolvimento da fibromialgia, uma vez que esta ocorre tanto em países quentes como em países frios. Geralmente as queixas diminuem quando se vai para um país quente, mas isto também pode estar relacionado com o fato de as pessoas relaxarem mais quando se encontram de férias.

O que é possível fazer contra a fibromialgia?

Para as pessoas que sofrem de fibromialgia, é importante manter o exercício físico. Diversas pesquisas demonstraram que o exercício regular leva a uma diminuição dos sintomas e que, por outro lado, a falta de exercício pode provocar agravamento dos sintomas. Além disso, o exercício tem um efeito positivo na sua disposição. O ideal é movimentar-se durante pelo menos 30 minutos todos os dias, como por exemplo, caminhar, fazer jardinagem ou andar de bicicleta. Isto correrá melhor nuns dias do que noutros. Inicialmente, quando começa a movimentar-se mais, os sintomas podem também aumentar, mas um banho ou duche quente podem aliviar estes sintomas. O seu médico de família pode encaminhá-lo para um fisioterapeuta ou terapeuta de motricidade que o poderá orientar.

Que tratamentos existem?

Infelizmente, não existem medicamentos que curem a fibromialgia. Na maioria dos casos, o médico de família ou o reumatologista prescreve analgésicos que aliviam os sintomas. Alguns exemplos:

  • Paracetamol (eventualmente com codeína ou cafeína);
  • Tramadol, um opioide;
  • Analgésicos anti-inflamatórios (AINE’s);
  • Amitriptilina, um fármaco para a depressão;
  • Medicamentos do grupo das benzodiazepinas.

O tramadol é um analgésico semelhante à morfina e tem um forte efeito analgésico. A amitriptilina é um fármaco para a depressão, mas é também usado para alívio da dor na fibromialgia. Normalmente, o paciente recebe uma dose baixa, no entanto, por vezes, pode demorar duas a quatro semanas até que o medicamento realmente surta efeito. Outros medicamentos do grupo das benzodiazepinas são os comprimidos para dormir e sedativos. Estes têm um efeito relaxante e calmante muscular.

Para além dos analgésicos, algumas pessoas optam por um tratamento alternativo. Algumas pessoas beneficiam desse tipo de tratamentos alternativos, mas não existem evidências científicas de que estes realmente funcionem.

Alguns exemplos:

  • Acupuntura;
  • Homeopatia;
  • Ervas e plantas;
  • Suplementos alimentares.

Com uma alimentação saudável, o organismo sofre menos stress e consegue recuperar melhor.

Alguns exemplos:

  • Coma três refeições ao dia e optar por snacks saudáveis. Não omita refeições; isto provoca maior apetite por alimentos açucarados;
  • Não coma gorduras animais e saturadas (carnes, lacticínios, molhos, bolachas e bolos) em excesso;
  • Prefira gorduras insaturadas como o azeite e o abacate;
  • Coma também proteínas, feijão e leguminosas;
  • Coma fibras suficientes;
  • Evite os açúcares;
  • Tente evitar alimentos com muitos aditivos, como aromatizantes, corantes e conservantes;
  • Evite a cafeína, o álcool e o tabaco;
  • Beba água suficiente;
  • Evite comer muito sal.

Outros riscos e efeitos secundários

A utilização de paracetamol com codeína pode provocar obstipação e diminuição da capacidade de reação. Os efeitos secundários dos opioides, como tramadol são sonolência e obstipação. Os analgésicos anti-inflamatórios (AINEs) podem causar dores de estômago e danificar o estômago e os intestinos. Por isso, não deve tomar mais de dois AINEs simultaneamente. Um dos efeitos secundários das benzodiazepinas é a dependência e por isso não deve tomá-los durante muito tempo. O seu organismo pode também acostumar-se demasiado ao medicamento. Outros efeitos secundários incluem a diminuição da capacidade de resposta, aumento de apetite e sonolência.

Uma vez que em caso de fibromialgia não existe inflamação nos músculos ou no tecido conjuntivo, a doença em si não representa um risco para o seu organismo e não causa danos permanentes.

Como prevenir a fibromialgia?

Uma vez que as causas da fibromialgia são desconhecidas, é difícil preveni-la. Sabe-se que certos fatores aumentam o risco de desenvolvimento de fibromialgia. Estes fatores são, entre outros:

  • Sexo: a fibromialgia é mais comum nas mulheres do que nos homens;
  • Idade: a doença afeta geralmente adultos;
  • Hereditariedade;
  • Má condição física;
  • Stress emocional;
  • Doenças e cirurgias anteriores.
Sources

Nederlands Huisartsen Genootschap (2019), Ik heb fibromyalgie (online). Beschikbaar op: https://www.thuisarts.nl/fibromyalgie/ik-heb-fibromyalgie#medicijnen-bij-fibromyalgie (bekeken op 22 november 2019).

Reuma Nederland (2019), Wat is fibromyalgie (online). Beschikbaar op: https://reumanederland.nl/reuma/vormen-van-reuma/fibromyalgie/ (bekeken op 22 november 2019).

Voltar para o início