Andriol

  • Suplemento de testosterona
  • Cápsulas para engolir
  • Destinado apenas aos homens
  • Não utilizar em caso de cancro da próstata

Sobre Andriol

As cápsulas de Andriol são moles, ovais e lustrosas e contêm 40 mg de undecanoato de testosterona. A substância ativa é transformada em testosterona no seu organismo. A testosterona é uma hormona natural masculina conhecida como androgénio.

O Andriol é utilizado em homens adultos como terapêutica de substituição de testosterona para tratar vários problemas de saúde causados pela deficiência de testosterona (hipogonadismo masculino). Isto deve ser confirmado por duas medições separadas da testosterona no sangue e devem incluir também sintomas clínicos, tais como:

  • Disfunção erétil;
  • Infertilidade;
  • Diminuição do desejo sexual;
  • Cansaço;
  • Estados depressivos;
  • Redução da massa óssea causada por níveis baixos da hormona.

Utilização/atuação

Tome este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico ou farmacêutico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

  • Dependendo da reação e da gravidade das queixas, a dose inicial recomendada é de 3‑4 cápsulas por dia. Após 2-3 semanas, deve passar-se gradualmente para uma dose de manutenção mais baixa, geralmente 1-3 cápsulas por dia.

Metade da dose diária deve ser tomada de manhã e a outra metade ao fim da tarde. Se o número de cápsulas diárias for ímpar, a dose maior deve ser tomada de manhã.

Este medicamento deve ser tomado com as refeições. As cápsulas devem ser engolidas sem mastigar, por exemplo com meio copo de água.

Se notar que o efeito de Andriol é demasiado forte ou demasiado fraco, informe imediatamente o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro.

Se tomou mais cápsulas do que as prescritas, não existe razão para grande preocupação. Em todo o caso, deverá consultar o seu médico. A substância oleosa na cápsula pode causar diarreia.

Esqueceu-se de tomar o medicamento? Não tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar. Não tome a dose esquecida e tome a dose seguinte à hora normal.

No folheto informativo, encontrará mais informações sobre a administração de Andriol.

Quando não se deve utilizar o medicamento

Quando não se deve utilizar este medicamento?

  • Em casos confirmados ou suspeita de cancro da próstata ou da mama.
  • Se for alérgico às substâncias ativas do medicamento. Poderá encontrar estas substâncias na secção 'Composição'.
  • Andriol não é indicado para mulheres.

No homem, o tratamento com Andriol pode levar a perturbações da fertilidade devido à inibição da formação do esperma.

Quando deve ter cuidados adicionais com este fármaco?

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.

O tratamento com hormonas masculinas como a testosterona pode aumentar o tamanho da próstata, especialmente em homens mais velhos. Assim, o seu médico examinará a sua próstata regularmente.

Adicionalmente, serão feitas análises regulares ao sangue para verificar a proteína responsável pelo transporte de oxigénio (hemoglobina).

O seu médico deve efetuar análises ao sangue antes e durante o tratamento para verificar a concentração de testosterona no sangue e a contagem completa das células do sangue.

Pode também ser necessária vigilância médica noutras situações. Como tal, antes de iniciar a toma deste medicamento deve dizer ao seu médico ou farmacêutico, caso sofra, tenha sofrido ou suspeite que sofre de:

  • Cancro da mama, do rim ou pulmão;
  • Cancro com disseminações no esqueleto;
  • Problemas cardíacos, renais ou hepáticos (o tratamento com Andriol pode causar problemas graves como retenção de líquidos, por vezes com insuficiência cardíaca congestiva);
  • Hipertensão, mesmo que esteja em tratamento (a testosterona pode aumentar a tensão arterial);
  • Diabetes;
  • Epilepsia;
  • Enxaquecas, dores de cabeça;
  • Problemas da próstata, tais como problemas relacionados com a passagem de urina;
  • Problemas de coagulação sanguínea - trombofilia (anomalia na coagulação sanguínea que aumenta o risco de trombose - coágulos de sangue nos vasos sanguíneos);
  • Apneia do sono (a testosterona pode causar ou fazer piorar esta patologia).

Crianças e jovens com idades inferiores a 18 anos

A segurança e eficácia deste medicamento ainda não foram adequadamente determinadas em pessoas com idades inferiores a 18 anos. É necessária supervisão médica adicional em caso de rapazes ainda em crescimento, visto que a administração de testosterona pode provocar desenvolvimento sexual precoce e perturbações no crescimento.

Toma outros medicamentos?

Alguns medicamentos podem interagir uns com os outros. Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos (com ou sem receita). Isto aplica-se sobretudo aos seguintes medicamentos:

  • Insulina e/ou outros medicamentos para controlar os níveis de açúcar no sangue;
  • Medicamentos para reduzir a coagulação do sangue (anticoagulantes);
  • Hormona ACTH (hormona adrenocorticotrófica);
  • Corticosteroides (hormona cortico-suprarrenal).

No folheto informativo, encontrará mais informações sobre as advertências em caso de toma de Andriol.

Efeitos secundários

Tal como qualquer medicamento, este medicamento também pode causar efeitos secundários, embora nem todas as pessoas os observem.

Frequentes (podem afetar menos de 1 em 10 pessoas):

  • Aumento da contagem de glóbulos vermelhos, do hematócrito (percentagem de glóbulos vermelhos no sangue) e da hemoglobina (o componente dos glóbulos vermelhos que transporta o oxigénio). Estes efeitos secundários podem ser identificados através de análises periódicas ao sangue.

Outros efeitos secundários possíveis (frequência desconhecida):

  • Comichão;
  • Acne;
  • Náuseas;
  • Diarreia e dores abdominais, problemas de estômago ou intestinais;
  • Alterações nos resultados de alguns exames laboratoriais, como testes de função hepática e testes de colesterol;
  • Depressão (grave);
  • Nervosismo;
  • Alterações do humor;
  • Dores musculares;
  • Retenção de líquidos nos tecidos, muitas vezes caracterizada por inchaço dos tornozelos ou pés (edema);
  • Tensão arterial alta (hipertensão);
  • Alterações do desejo sexual;
  • Ereção prolongada anormal do pénis acompanhada de dor;
  • Alterações na formação de esperma;
  • Desenvolvimento de características femininas, como o aumento dos seios;
  • Aumento da dimensão da próstata (hiperplasia benigna da próstata) até um tamanho considerável em grupos etários específicos;
  • Aumento dos valores do PSA (marcadores sanguíneos que estão associados ao cancro da próstata);
  • Crescimento acelerado de cancro da próstata não descoberto que já está presente em estádio inicial;
  • Problemas ao urinar;
  • (Em casos muito raros) icterícia.

No folheto informativo poderá ver um resumo completo dos efeitos secundários possíveis. Se observar efeitos secundários, consulte um médico ou um farmacêutico. Isto também se aplica a possíveis efeitos secundários que não estejam listados no folheto informativo.

Composição

A substância ativa deste fármaco é o undecanoato de testosterona 40 mg. Os outros componentes deste medicamento são:

Conteúdo da cápsula: óleo de rícino, monolaurato de propilenoglicol (E477);
Material da cápsula: gelatina, glicerina, amarelo-sol FCF (E110).
Andriol é fabricado por:

N.V. Organon
Kloosterstraat 6
5349 AB Oss
Países Baixos

Folheto informativo

Antes de utilizar, leia o folheto informativo.

Folheto(s) para o paciente
Voltar para o início