Directly go to the content
Outras consultas deixar de fumar homens a comer hambúrgueres
  • Dormir
  • ​Insónia crónica 

​Insónia crónica 

A insónia grave é um problema muito desagradável que pode ter sérias consequências, como o mau funcionamento durante o dia. 

Tratamentos para ​insónia crónica 

Deve-se fazer uma distinção entre problemas de sono mais e menos graves. Em geral, fala-se de insónia grave se dormir mal pelo menos três vezes por semana, durante um período superior a três semanas, e se isso resultar em mau funcionamento durante o dia. Se dormir mal apenas ocasionalmente, durante menos de três semanas, e se isso não for acompanhado de mau funcionamento durante o dia, falamos de perturbações leves do sono. Normalmente, nesses casos, o problema desaparece naturalmente. 

O que é a insónia grave?

A insónia grave define-se como perturbações do sono que ocorrem durante um período superior a três semanas, pelo menos três vezes por semana e que afetam o funcionamento durante o dia. Os distúrbios do sono podem ser vários, como dificuldade em adormecer, acordar regularmente durante a noite, acordar demasiado cedo, acordar cansado, ter pesadelos e não conseguir dormir profundamente. Estas queixas podem afetar o nosso funcionamento durante o dia e causar cansaço, sonolência e irritação, para além de falta de concentração. Estes problemas podem ser agravados pelos chamados maus hábitos de sono, como dormir até muito tarde, ter um ritmo de sono-vigília desequilibrado, tomar medicamentos para dormir ou consumir álcool em demasia. Quem sofre de insónias ocasionais pode também acabar por sofrer de insónias graves. Isto deve-se principalmente a fatores psicológicos. Por exemplo, se alguém estiver convencido de que não consegue dormir facilmente, associará sempre o sono a algo negativo.  

Quais são as causas da insónia grave?

A insónia grave pode ter diversas causas. Alguns exemplos são: 

  • Problemas psicológicos; 
  • Problemas físicos; 
  • Stress e preocupações; 
  • Hábitos de sono errados; 
  • Doenças do sono. 

Os problemas psicológicos são problemas como a ansiedade ou depressão. Os problemas físicos podem incluir micção noturna, tosse, prurido, falta de ar, dores, suores noturnos, cãibras, pernas inquietas, azia ou palpitações. Todos estes sintomas fazem com que não consiga dormir bem e acorde regularmente, o que afeta negativamente a qualidade do sono. Isso também é o caso se não conseguir dormir por se preocupar com qualquer tipo de problemas, por exemplo de trabalho ou com a família. Os hábitos de sono errados também podem dar origem a insónia grave. Alguns exemplos são:  

  • Perturbações do ritmo sono-vigília devido a jet-lag, trabalho noturno, sestas durante o dia ou acordar (demasiado) tarde de manhã; 
  • Ir dormir cedo demais; 
  • Beber cafeína à noite, como café, cola ou bebidas energéticas; 
  • Fumar, uma vez que a nicotina é um estimulante; 
  • Beber álcool; o álcool pode fazer com que acorde com mais frequência durante a noite; 
  • Fazer desporto ou praticar qualquer outra atividade enérgica à noite; isto mantém o organismo ativo, o que significa que precisará de mais tempo para adormecer; 
  • Consumir medicamentos com efeito estimulante; 
  • Jantar demasiado tarde; a digestão continua durante algum tempo, não permitindo que o organismo consiga relaxar; 
  • Utilizar ecrãs antes de ir dormir; a luz azul é funesta para o sono. 

Além disso, a causa da insónia grave também pode ser uma doença do sono, como por exemplo a apneia do sono, narcolepsia, pernas inquietas ou síndrome do atraso das fases do sono. A apneia do sono é uma patologia com a qual, durante a noite, o paciente não respira pelo menos durante 10 segundos. Isso pode acontecer repetidamente, até mais de cinco vezes por hora, o que tem um grande impacto na qualidade do sono. Desta forma, o paciente acorda com uma sensação de não ter repousado o suficiente e sente sonolência durante o dia, o que pode ter grande impacto na capacidade de concentração. A narcolepsia é uma patologia que faz com que o paciente adormeça regularmente durante o dia, inclusivamente durante a prática de qualquer atividade. As pessoas que sofrem de pernas inquietas não conseguem manter as pernas paradas e sentem uma sensação desagradável e pesada nas pernas. Finalmente, a síndrome do atraso das fases do sono implica que a pessoa adormece sempre demasiado tarde, acordando de manhã sempre com muito sono. Não é possível alterar este ritmo. 

Que tipos de insónia grave existem?

A insónia grave define-se como perturbações do sono que ocorrem pelo menos três vezes por semana, durante um período superior a três semanas, e que afetam o funcionamento durante o dia. Deve-se fazer uma distinção entre perturbações do sono mais e menos graves. As perturbações ocasionais do sono geralmente desaparecem por si só e devem-se a causas óbvias, como por exemplo, um jet-lag. Além disso, as perturbações ocasionais do sono também não afetam o funcionamento durante o dia. 

Como reconhecer a insónia grave?

A insónia grave pode ser reconhecida por um dos seguintes sinais: 

  • Dificuldade em adormecer; 
  • Não acordar repousado, mesmo depois de pelo menos 8 horas de sono; 
  • Acordar frequentemente durante a noite; 
  • Acordar demasiado cedo; 
  • Sonhos muito agitados ou pesadelos; 
  • Dormir muito superficialmente; 
  • Cansaço, sonolência e irritabilidade durante o dia; 
  • Menor capacidade de concentração durante o dia; 
  • Roncopatia; 
  • Suores noturnos; 
  • Ter de urinar uma ou mais vezes durante a noite. 

O que é possível fazer contra a insónia grave?

O seu médico poderá aconselhá-lo em caso de insónia grave. Alguns exemplos destes conselhos são: 

  • Use apenas a cama para dormir. Não coma, não leia nem veja televisão na cama. 
  • Beba um copo de leite morno antes de dormir. 
  • Faça exercícios de relaxamento, como meditação. 
  • Não se envolva em discussões intensas pelo menos duas horas antes de dormir. 
  • Evite a cafeína (café, chá preto, coca-cola, chocolate) à noite. 
  • Evite o álcool. 
  • Nos fins de semana, tente manter o ritmo de sono dos dias de semana. Deite-se no máximo 1 hora mais tarde do que durante a semana e levante-se também não mais que 1 hora mais tarde que o normal. 
  • Evite desportos ou outras atividades demasiado enérgicas à noite. 
  • Tente não criar associações negativas ao sono, para evitar um círculo vicioso. 
  • Tente dar um passeio de manhã. A luz do sol faz com que o seu organismo “saiba” que é dia. 
  • Movimente-se e faça desporto de forma suficiente. 

Estes são conselhos gerais: se a insónia grave resultar de queixas psicológicas, como por exemplo ansiedade ou depressão, deve seguir os conselhos do seu médico assistente. 

Que tratamentos existem?

Medicamentos 

Em geral, os médicos são cautelosos quando se trata de receitar medicamentos para a insónia. O objetivo é reduzir os sintomas, tratando as causas o máximo possível. Os medicamentos são receitados apenas durante pouco tempo, uma vez que o seu efeito terapêutico diminui após duas semanas e os efeitos secundários indesejados persistem. Por exemplo, eles podem ser prescritos em caso de insónia grave de curta duração devido a problemas transitórios ou se a insónia causar problemas graves de funcionamento durante o dia. Normalmente, em caso de perturbações graves do sono, o médico fará o seguinte: 

  • A natureza dos sintomas é discutida (o paciente tem problemas em adormecer, acorda frequentemente durante a noite, acorda demasiado cedo, acorda com sensação de não estar repousado?); 
  • A duração, o decurso e a frequência de ocorrência das queixas são discutidos; 
  • Tem problemas durante o dia e consequências no funcionamento diário? (cansaço, menor concentração); 
  • Quais são as causas possíveis? 
  • Padrão de sono (como é o padrão de sono e como era antes dos sintomas começarem); 
  • Quais são as expectativas do paciente em relação ao sono? 
  • O que é que o paciente já tentou fazer para dormir melhor? 
  • Existem outros sintomas, como roncopatia, pernas inquietas, cãibras noturnas ou sonolência durante o dia? 
  • Quais são as expectativas do paciente em relação a possíveis soluções para a insónia? 

Se o médico considerar necessário, pode optar por um medicamento Z para dormir. Estes fármacos são sedativos e tranquilizantes com um efeito atenuante do sistema nervoso central e permitem que o paciente consiga adormecer mais rapidamente. Exemplos destes fármacos são zolpidem e zopiclona. A escolha dos medicamentos depende naturalmente dos sintomas do paciente. O médico prescreverá apenas 5 a 10 unidades destes comprimidos, uma vez que não devem ser utilizados durante muito tempo. Se os problemas de sono forem causados por uma doença do sono, essa doença deve ser tratada primeiro. O médico pode optar por efetuar um teste de sono numa clínica. Nesse caso, o paciente passará a noite numa clínica e, durante essa noite, o sono será bem examinado. 

Para mais informações sobre a utilização responsável deste medicamento, consulte a nossa política sobre fármacos Z. 

Tratamentos alternativos 

Também se pode optar por tratamentos alternativos, como a melatonina. A melatonina é uma hormona naturalmente presente no organismo que desempenha uma função na regulação do ciclo sono-vigília. Normalmente, a quantidade de melatonina no sangue aumenta ao final do dia. Isto provoca sonolência e diminui a temperatura do corpo. A melatonina é particularmente escolhida em caso de perturbação do ritmo dia-noite devido a jet-lags. É recomendado apenas para voos que atravessam mais de cinco fusos horários. A melatonina não tem efeito clinicamente relevante na insónia grave ou em problemas do sono devido a trabalho noturno. Além disso, poderá optar-se por produtos à base de plantas, como a valeriana e a passiflora. A opinião geral é que a valeriana é eficaz, mas os resultados das pesquisas não são conclusivos. Infelizmente, não existem informações suficientes sobre a eficácia de outros produtos à base de plantas. 

Mudanças de estilo de vida 

Como já mencionado acima, recomenda-se também algumas mudanças no estilo de vida para reduzir os sintomas da insónia grave. Por exemplo, é recomendável movimentar-se e fazer desporto para cansar o corpo e melhorar a saúde em geral. Também é recomendável fazer caminhadas pela manhã para despertar o corpo e conseguir de imediato uma boa dose de vitamina D. Evite álcool e cafeína à noite; estes são estimulantes e por isso nocivos para o sono. E embora possa adormecer mais rápido depois de consumir álcool, isto tem um efeito muito negativo na qualidade geral do sono, pois faz com que acorde regularmente durante a noite e durma pouco profundamente. 

Outros riscos e efeitos secundários 

Como os medicamentos para dormir apresentam riscos e efeitos secundários, como sonolência durante o dia, diminuição da capacidade de condução, e dependência, é preferível usar um sedativo de curta duração na dosagem mais baixa possível. Além disso, o efeito desses agentes diminui após duas semanas, à medida que o corpo se acostuma. 

Como evitar a insónia grave?

Em alguns casos, a insónia grave não pode ser evitada, por exemplo, se resultar de doenças do sono ou de depressão. No entanto, se o paciente já sofrer de perturbações do sono, poderá evitar o desenvolvimento de insónia grave seguindo os conselhos acima, como por exemplo evitar hábitos de sono errados. 

Referência da fonte

Farmacotherapeutisch Kompas (2020). Slapeloosheid [Insónia]. Consultado a 1 de junho de 2020, em https://www.farmacotherapeutischkompas.nl/bladeren/indicatieteksten/slapeloosheid 

Farmacotherapeutisch Kompas (2020). Zolpidem. Consultado a 1 de junho de 2020, em https://www.farmacotherapeutischkompas.nl/bladeren/preparaatteksten/z/zolpidem 

Farmacotherapeutisch Kompas (2020). Zopiclon. Consultado a 1 de junho de 2020, em https://www.farmacotherapeutischkompas.nl/bladeren/preparaatteksten/z/zopiclon 

Koninklijke Nederlandse Maatschappij ter bevordering der Pharmacie [Sociedade Real Holandesa para a Promoção da Farmácia]. (2010, 26 de agosto). Slapeloosheid [Insónia]. Consultado a 1 de junho de 2020, em https://www.apotheek.nl/klachten-ziektes/slapeloosheid#wat-is-slapeloosheid